O incrível poder de dizer NÃO

o-incrivel-poder-de-dizer-nao2

Agenda lotada, exaustão no fim do dia e uma sensação de que, embora se tenha feito tanto, ainda falta muita coisa. Você conhece esses sintomas? Talvez os viva toda semana e tenha a impressão de que o problema é o tempo ou a falta dele. Mas, será que o relógio é mesmo o vilão das nossas vidas atribuladas? 

Pense bem: sua agenda só é preenchida quando você diz sim a algo que lhe é oferecido. Trabalho, projetos extras, um passeio, um almoço, um favor, uma doação. Na medida que dizemos sim a tudo ou quase tudo que nos é pedido nossa agenda vai se enchendo, nossas energias sendo dispersas em muitas atividades e aí, é claro, o tempo também acaba. 

Então, antes de desejarmos um dia de mais de 24 horas, será que não podemos dar um passo atrás e encontrar a raiz desses sintomas? E se o problema de estarmos tão cansados e fazendo atividades que não nos acrescentam tiver a ver com a nossa incapacidade de dizer não? Já pensou nisso? 

Por que temos medo de dizer não?  

É bom alertar que esse medo de negar um pedido ou uma proposta não é exatamente algo consciente. Tememos coisas que às vezes nem percebemos na prática, mas que de alguma forma nos empurram sempre a dizer sim.  

Temos medo, por exemplo, de perder oportunidades, de magoar o outro, de desfazer relacionamentos, de causar um mal-estar social, de nos colocarmos em uma situação difícil ou de deixar o outro na mão. 

São esses receios que nos levam a “guardar o não no bolso” e a escolhermos caminhos de ineficiência e exaustão. Diante da pressão de dizer sim ou não sequer pensamos que um sim à coisa errada pode trazer sofrimento por meses e até anos. Ao passo de que se escolhêssemos dizer não o desconforto seria temporário. 

Outro atalho do não são as respostas vagas, como “verei o que posso fazer” ou “vou dar um jeito”. Quando dizemos essas coisas normalmente sabemos que deveríamos simplesmente ter dito não, mas não tivemos coragem para isso. Mas, a verdade é que um não claro pode ser muito mais gentil do que um sim descompromissado. 

Diga sim apenas ao que de fato importa  

Todos esses medos que nos impedem de dizer não acabam nos atrapalhando a enxergar o que é essencial para nós. O autor Greg Mckeown fala sobre isso em seu livro “Essencialismo”. Ele convida o leitor a entender o que é, de fato, essencial para a sua vida e a ousar dizer não àquilo que não faz sentido. 

Greg Mckeown alerta que quando não sabemos o que é essencial para nós ficamos indefesos em todas as nossas escolhas. Mas, quando nossa visão sobre nós mesmos e sobre nossa trajetória é clara, então é como se houvesse um campo de força ao nosso redor nos defendendo do que não é essencial.   

A questão é: precisamos dizer sim pelos motivos certos. E a pressão de nos sentirmos socialmente bem-encaixados definitivamente não é um motivo adequado! Para dizer sim sem prejuízo precisamos de convicção das nossas escolhas. 

É claro que essa não é uma tarefa que você vai aprender do dia para a noite. Mas, aos poucos, você vai percebendo que ser um essencialista e ter a coragem de dizer não vai ficando mais fácil. Você descobre que há muitas consequências positivas nessa decisão e que as pessoas passam a respeitá-lo por sua ousadia, autenticidade e foco. 

Dicas práticas para dizer NÃO 

Está bem, você já entendeu que dizer não é possível e necessário para que você tenha uma vida essencial. Mas, como fazer isso de forma leve e sem culpa? No capítulo “Ousar” de seu livro sobre essencialismo, Greg Mckeown traz algumas dicas práticas e vamos compartilhar algumas delas com você: 

Pense no que precisará abrir mão ao dizer sim 

Aproveite aqueles minutos de silêncio logo após o pedido para pensar de verdade. Nesse momento traga à memória o que um sim vai exigir de você: tempo, dinheiro, energia, sacrifício da família e do lazer. Quando pensamos de forma sistemática no que precisamos abrir mão para atender a uma proposta, então fica mais fácil decidir sem prejuízo. Se for em um ambiente corporativo em que o pedido venha de um superior você pode jogar a decisão para ele. Pergunte: “e de que outras tarefas devo abrir mão para executar essa?” 

Separe a decisão do relacionamento 

É comum termos receio de dizer não ao outro porque imaginamos que estamos negando os laços que temos com ele. Mas essa é uma crença errada! É importante que em sua mente e em sua resposta fique claro que a negativa foi dada ao pedido e não à pessoa. Esse entendimento nos livra da culpa e nos libera para tomar uma decisão eficaz. 

Se for possível, ofereça alternativas 

A impossibilidade do sim não quer dizer, necessariamente, um não. Se você não puder atender a um pedido tal qual foi feito ainda tem a opção de oferecer alternativas. Você pode dizer eu posso fazer X, deixando claro até onde pode ir. Ou, ainda, pode sugerir outra pessoa para fazer aquilo que você não pode. É uma forma gentil de dizer não, pois mostra que você se importa com o outro. 

Seja firme e delicado ao mesmo tempo 

A negativa a uma proposta não precisa ser dura e fria. É possível dizer não claramente, mas ainda assim ser delicado. Você pode dizer, por exemplo, que será  incapaz de atender aquela pessoa, que sua agenda está cheia ou que será obrigado a desapontar as expectativas desse alguém. Se for seu estilo você pode, inclusive, usar o humor e mostrar que seria impossível você dizer sim. 

Não responda na hora 

Se você sabe que não conseguirá dizer não no momento em que fizerem o pedido, então peça um tempo. Você pode dizer que precisa pensar ou consultar sua agenda e isso certamente será melhor que dizer sim pressionado. A ideia não enrolar o outro, mas ganhar tempo para pensar sobre a solicitação e elaborar um não gentil, o que seria muito mais difícil fazer de supetão. 

Posts Relacionados

Deixeum comentário