Gestão do tempo: é possível vencer a guerra contra o relógio?

Gestão do tempo

Talvez você não tenha percebido, mas é provável que esteja no meio de uma guerra. Sim, estou falando de uma batalha muito comum a todos nós: aquela contra o tempo 

Por que será que chegamos cada vez mais cansados em casa? De onde vem essa sensação de que lutamos com diversos leões durante o dia, mesmo que o nosso trabalho nem sempre exija força bruta? Por que é que ansiamos, cada vez mais, pelo fim do dia, o fim de semana, o fim do ano e as tão sonhadas férias? Porque lutamos contra o tempo. 

Em seu livro “O Tempo, a Agenda e o Foco”, Josué Campanhã nos alerta que essa guerra com o relógio é uma batalha perdida. Não importa quão organizado você seja, ou se usa planilhas e aplicativos de administração de tempo. Se a sua agenda for definida apenas de acordo com as horas do dia, não se engane, você correrá o tempo todo para cumprir sua agenda e terminará sem completá-la, como sempre.  

Não importa quão organizado você seja, ou se usa planilhas e aplicativos de administração de tempo. Se a sua agenda for definida apenas de acordo com as horas do dia, não se engane, você correrá o tempo todo para cumprir sua agenda e terminará sem completá-la, como sempre.  

O autor nos convida a olhar para a o nosso tempo a partir de uma outra perspectiva. Ele propõe um tripé que, além do tempo e da agenda, também inclui o foco. A ideia é que não adianta planejar a agenda se não há foco naquilo que nos propomos fazer.  

Você precisa definir sua visão! A partir disso você faz suas escolhas e fecha sua agenda. E é essa agenda, sustentada pelo foco, que definirá seu tempo.  

Percebe? Não é sobre lutar contra o relógio, mas sobre ter clareza do caminho e dos passos que o conduzirá à sua visão.  

A busca pelo equilíbrio  

Josué Campanhã usa a metáfora da condução de uma bicicleta para nos falar sobre a busca do equilíbrio de vida. Ao andar de bicicleta não dá para ir rápido demais, nem muito devagar, pois nos dois casos perderemos o equilíbrio e cairemos.  

Na vida é parecido: se aceleramos além do que damos conta ou se nos arrastamos desanimados, então também perdemos o equilíbrio. 

Além disso, quando andamos de bicicleta precisamos saber para onde vamos e por que pedalamos. É um passeio? Uma competição? Ou apenas uma forma de se deslocar pela cidade? São objetivos muito diferentes, que mudam como usamos a bicicleta, concorda? 

Quando vamos definir nosso tempo e nossa agenda essa visão de “para onde” e “por que” também é essencial. É ela que nos trará foco e equilíbrio nas diferentes tarefas que executamos no trabalho, na vida em família, no desenvolvimento pessoal. E é a partir dela que conseguimos desenhar um plano de vida. 

Como desenhar um Plano de Vida?  

Você já entendeu que ter foco é a chave para preencher sua agenda e seu tempo de um jeito que faz sentido, certo? Mas como descobrir essa visão? Afinal, quais são os passos para criar um plano de vida? 

Josué Campanhã propõe uma jornada nesse sentido a partir de perguntas básicas, como quem sou eu? Onde estou? Para onde vou? Lembre-se: quem você é e quem deseja ser determina seu legado. Além disso, o momento que você vive hoje pode contribuir ou atrasar sua visão. Por fim, se questionar sobre onde se quer chegar é essencial para transformar sonho em passos práticos para a realização da visão. 

Curso O Tempo, A Agenda e O Foco

A Envisionar desenvolveu o curso O Tempo, A Agenda e O Foco, com o objetivo de ajudar as pessoas a equilibrar seu tempo, sua agenda e o seu foco, de modo que possamos mirar em projetos importantes, tenhamos tempo de qualidade com a família e um merecido descanso. Clique aqui e saiba mais.

Deixeum comentário