Falta de líderes? Saiba como resolver

Falta de líderes? Saiba como resolver

Você sente que está vivendo um apagão de liderança? Percebeu que após a pandemia alguns líderes que já não estavam muito engajados, desistiram totalmente? Você tem se sentido sozinho(a) e precisando de suporte e apoio no ministério? Você vive a falta de líderes em sua comunidade?

Se você respondeu sim a qualquer uma das perguntas, saiba que você não está só, essa não é uma situação vivenciada apenas por você e seu ministério.

Muito líderes relatam que estão ficando sozinhos, sem apoio e sem pessoas com quem se possa “contar”.

Pressão causada pela falta de líderes 

Em uma pesquisa conduzida pela Envisionar no final de 2020, identificamos que 63,7% dos pastores e líderes estão com estresse mais alto no ministério, e a causa maior é porque estão sozinhos ou com poucos líderes para dividir as cargas neste momento.

Ainda segundo a pesquisa, depois das finanças, o segundo item de maior pressão é a formação de líderes. Isto confirma outras descobertas da pesquisa, que indicam que as igrejas já estavam sofrendo neste ponto, e a pandemia apenas tirou o problema de debaixo do tapete. 41% das igrejas estão sofrendo com a falta de formação de líderes.

Para 37% das igrejas, o terceiro tema que mais pressiona é a gestão ou engajamento de voluntários, o que é consequência da falta de desenvolvimento de líderes.

Líderes capacitados mobilizam voluntários. A falta deles tira o elo entre a liderança sênior da igreja e os voluntários.

Então, tendo em vista que a pandemia apenas tirou debaixo do tapete uma situação que era crônica, nosso questionamento e reflexão é: o que está acontecendo para que poucas pessoas queiram se engajar e envolver nas posições de liderança na igreja?

Cenário ideal

Num cenário ideal, uma liderança capacitada, competente, envolvida e com a visão alinhada atuaria lado a lado da equipe pastoral, tornando reais os projetos desenvolvidos para transformação da sociedade. Impactando seu entorno e multiplicando a visão.

É certo que você deseja essa realidade para seu ministério, principalmente se pensamos no Reino. Mas como mudar esse cenário, já que parece que a situação se tornou crônica? Existe saída para isso?

Argumentos para rever práticas e processos locais

Pensando em todos esses questionamentos e reflexões, gostaríamos de apontar alguns argumentos observados na prática do dia-a-dia de ministério que, quando confrontados e analisados, podem te ajudar a rever práticas e processos locais.

Nossa tendência natural é querer explicar essa ausência de líderes de forma simplista ou usando o senso comum. Para que isso não aconteça e possamos mergulhar mais fundo nos possíveis e reais motivos, que tal começar questionando alguns desses argumentos?

Primeiro argumento: “Estamos sem líderes porque as pessoas não querem mais assumir responsabilidades e liderar”

Será mesmo que as pessoas não querem assumir responsabilidades? Que tal confrontar esse argumento pensando: será que as pessoas não querem mesmo assumir responsabilidades ou será que, muitas delas, quando assumiram, se sentiram abandonadas por seus líderes imediatos, principalmente quando havia um problema?

A prática nos mostra que quando um voluntário ou líder está em um ambiente de confiança, sente que tem suporte e retaguarda de sua liderança imediata, assume desafios e propõe soluções. É preciso estar atento. DELEGAR não é “DE-LARGAR”.

Ouvir, acolher, capacitar

Será que os líderes que passaram por seu ministério sentiam que suas ideias e propostas eram ouvidas, acolhidas e aprimoradas? Será que quando os problemas surgiam, eles se sentiam respaldados e empoderados para analisar a situação e tomar decisões? Ou ainda, será que elas se sentem capacitadas e capazes de liderar?

Uma vez ouvi de uma pessoa da nova geração “eu não quero liderar nem assumir muitas responsabilidades pois não me sinto capacitado para isso”. Sua igreja possui movimentos e ferramentas para capacitação dos possíveis líderes?

Segundo argumento: “Estamos sem líderes porque as pessoas não se engajam”

Pergunte a um voluntário engajado o porquê dele ser assim. É bem provável que ele responda coisas como “porque eu acredito na visão, na causa”, “porque eu amo essa igreja, amo Jesus e quero fazer mais em resposta ao que Ele fez por mim”, “porque eu amo a equipe, meu líder e meu colegas”, “porque eu sinto que meus talentos e habilidades são usados”, “porque essa é uma causa maior que eu e me dá alegria poder fazer parte”. Tudo isso é parte de uma visão!

Histórias

A narrativa é o maior dispositivo visionário que qualquer líder possui em sua caixa de ferramentas. Elas levam o ouvinte ao futuro. Há muitas pessoas sentadas em suas igrejas esperando para serem desenvolvidas e desafiadas para algo maior que elas. Quais histórias de sua organização são inspirações para que haja engajamento nas ações de um futuro ideal?

Porquê

Outro dispositivo ideal para lançar uma visão é o PORQUÊ! Sim, comece por aí apresente os motivos mais nobres para que aquilo aconteça. Quais resultados serão alcançados e como as pessoas serão impactadas se aquilo acontecer?

Estatística também é uma boa ferramenta

As estatísticas também são uma ótima ferramenta para os líderes comunicarem um novo e melhor amanhã. Muitos líderes evitam o uso de estatísticas porque às vezes os números parecem frios e estéreis. Mas, em toda organização, haverá pessoas com cérebro direito e esquerdo.

As pessoas com cérebro direito ficarão comovidas e motivadas por sua narrativa, mas as pessoas com cérebro esquerdo serão convencidas pelas estatísticas. Você pode usar as estatísticas como uma métrica de onde deseja estar, e também pode usá-las para mostrar o progresso em direção a um dia melhor.

A Bíblia lembra os líderes: “Sem uma visão, o povo perece”. Helen Keller foi citada como tendo dito: “A única coisa pior do que ser cega é ter visão, mas não ter visão”.

Posso pensar em algo pior: um grupo de pessoas com visão, mas onde seu líder não foi capaz de articular ações para alcançar uma visão! Não seja esse líder, ouse e faça diferente.

Terceiro argumento: “Estamos sem líderes porque as pessoas não estão preparadas e não se sentem prontas e capazes de liderar”

De fato, assim como relatei anteriormente, muitas pessoas de nossas igrejas referem que não se sentem preparadas nem prontas para liderar. Para muitos, liderar é algo que assusta. Principalmente entre as pessoas da nova geração de líderes (Millenials – Geração Y), há uma preocupação importante nesse sentido. Liderar por recompensas é uma coisa, mas pelos motivos certos é algo completamente diferente.

Patrick Lencione, palestrante do Leadership Summit diz que líderes que lideram pelos motivos certos conduzem conversas difíceis, reuniões, atividades motivacionais e de engajamento, gerenciam / monitoram projetos, resultados e o trabalho de sua equipe e ainda, reforçam a visão e as mensagens mais importantes.

Ajudá-los para diminuir o peso

Agora pense comigo, é ou não é algo desafiador? Sim, é, mas tudo isso pode ficar mais leve e natural se mostrarmos que podemos ajudá-los a desenvolver essas habilidades de forma prática, oportunizando momentos de capacitação, treinamento e desenvolvimento.

A maior necessidade é de capacitadores

Durante a pesquisa que conduzimos com pastores e líderes, evidenciamos que apenas 44,1% dos respondentes percebem que a solução que mais pode ajudá-los é capacitar outros líderes. Para metade dos pastores e líderes (48%), a maior necessidade é de capacitadores. Nós realmente acreditamos que com capacitação, treinamento, suporte é possível preparar líderes para executarem uma visão que transforma realidades.

Escassez de especialistas em capacitação de líderes no Brasil

Reconhecemos que realmente temos pouquíssima gente no Brasil especialista em capacitação de líderes. Não estamos falando aqui de palestrantes ou professores, mas de especialistas com conteúdo e metodologia.

De outro lado, entendemos que a rotina pesada dos pastores e líderes normalmente não permite que eles se dediquem a esta necessidade. Por isso a Envisionar dedica-se a criar ferramentas e estratégias que aliviem a sobrecarga de pastores e líderes, por meio da capacitação de pessoas e equipes, preparando o caminho das futuras gerações.

E pensando nessa realidade atual, é preciso considerar estratégias mais híbridas. Ainda em relação a nossa pesquisa, 42,3% dos líderes consideram utilizar estratégias híbridas, com transmissão online e pessoas participando em pequenos grupos, para eventos ou treinamentos. O restante dos respondentes considera estratégias em grupos maiores, ou ainda, assistindo sozinhos, mas com momentos posteriores, presenciais, para debater o conteúdo estudado.

Estas alternativas devem modelar no futuro o formato de ensino, eventos, treinamentos e outras atividades das igrejas.

Escolha um foco inicial para resolver o apagão de líderes

Analise esses aspectos e argumentos e escolha um foco inicial para resolver a ausência de líderes. De forma geral, percebemos que a capacitação e o investimento em relacionamentos, proximidade e lançamento de visão, é possível resolver o apagão de líderes que hoje sobrecarrega a liderança principal da igreja.

Por outro lado, entendemos que discipular e formar líderes é um desafio permanente e não se resolve instantaneamente. Sem estes dois fatores a longevidade da igreja está comprometida.

Parece que a pandemia trouxe a igreja de volta ao início de tudo. Jesus primeiro discipulou e depois transformou estes discípulos em líderes.

Qual o primeiro passo que você pode dar em direção a resolução do problema relatado?

Sua igreja já investe em capacitação de líderes e equipes?

Posts Relacionados

Comentários (2)

Olá, muito bom a matéria. Parabéns pelo assunto abordado e temas dentro da realidade nas igrejas. Questiono se tem algum material disponível para estudo??
Aguardo retorno, obrigado pela atenção.
Abraços

Olá Anderson, obrigado pelo feedback. Temos outros posts sobre o assunto e tbm um guia que fala sobre capacitação de líderes neste link: https://www.hotmart.com/product/guia-completo-para-capacitar-uma-nova-geracao-de-lideres

Deixeum comentário